Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > ACONTECE > LUTA PARA DERRUBAR O PLP 257 TEM QUE SER INTENSIFICADA

Luta para derrubar o PLP 257 tem que ser intensificada

17/08/2016

Apesar da retirada do congelamento de salário por dois anos, o projeto continua sendo um perigo para os servidores públicos

Escrito por: Sindsprev PE

 

Depois de muita mobilização, protestos e negociações, foi aprovado, por 282 votos a 140, o Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 257/2016 que trata da renegociação das dívidas dos estados com o governo federal. A votação só foi possível depois de um acordo para retirar do texto a previsão de congelamento dos salários dos servidores públicos estaduais por dois anos, um dos pontos mais polêmicos da proposta.


Mais vale ressaltar que deve ser aprovado o teto de gastos sociais dos estados (realizado no ano anterior mais a inflação) o que prejudicará os servidores, pois sem teto para gastos não tem reajuste, não tem concurso e tem precarização dos serviços públicos. 

 

O líder do governo, deputado André Moura (PSC – SE) destacou que a Constituição e a Lei de Responsabilidade Fiscal já impõe limites para o gasto com o pessoal. Já o líder do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), disse que a retirada do artigo que proíbe expressamente o reajuste de salários de servidores estaduais não vai salvar o funcionalismo do corte de gastos previsto pelo projeto de renegociação das dívidas dos estados com o governo federal. Para oposição é tudo uma enganação e está mantido o ajuste para pagar juros a banqueiros.

 

Repúdio

 

De acordo com o assessor legislativo do Sindsprev PE, Wlamir Campos Motta, o próprio relator do projeto, o deputado Esperidião Amim (PP-SC), afirmou que o texto não é o ideal, mas reflete o que foi negociado com os governadores. “Para os servidores dos estados, apesar da retirada do congelamento de salário por dois anos, o PLP 257 continua sendo um perigo. O projeto segue limitando os gastos dos estados à inflação do ano anterior, ou seja, qualquer aumento de despesa com o funcionalismo continuaria limitada. Enfim, houve um pequeno avanço, mas o projeto ainda é péssimo para os servidores”, destacou Wlamir. 

 

O Sindsprev PE é contra o PLP porque é um projeto extremamente danoso aos servidores e continua sendo um instrumento de consolidação de uma política de Estado Mínimo. A preocupação das entidades representativas dos servidores públicos é de que, em um futuro muito próximo, as medidas sejam estendidas a todo o funcionalismo, resultando na retirada de direitos históricos e conquistados ao longo dos últimos anos. Este futuro na verdade é o que prevê a PEC 241/2016 para os servidores federais, ou seja, as mesmas restrições que exitem no PLP 257 dos trabalhadores do funcionalismo estadual. 

 

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060