Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > ACONTECE > SINDSAÚDE MG COBRA ISONOMIA PARA SERVIDORES DA SES

Sindsaúde MG cobra isonomia para servidores da SES

01/09/2016

Impacto pequeno mostra que só precisa de vontade política para conceder as reivindicações dos trabalhadores da SES

Escrito por: Sindsaúde MG

 

O estudo sobre o impacto financeiro dos itens de reivindicação específicos dos(as) servidores(as) da SES foram apresentados em reunião com o SindSaúde MG na quarta-feira (31) na Cidade Administrativa (CAMG).  O Sindicato cobra que o acordo com os cinco itens pendentes da SES seja assinado em no máximo 10 dias. Um impasse entre o novo secretário de saúde e a Seplag tem sido colocado como motivo do entrave.

 

Representando o governo, a superintende dos Recursos Humanos da SES, Alice Melo Lopes, agendou nova reunião na próxima semana para encaminhamento das propostas. Os pontos específicos pendentes na SES são: a extensão da Gratificação por Atividade de Gestão da Saúde (GAGES) a todos servidores da SES; auxílio creche conforme praticado na Funed; jornada de trabalho de 36 horas semanais para os servidores lotados nas regionais, assim como foi acordado na Funed e na ESP; rever o acordo que regulamenta a concessão de diárias; compensação dos dias parados com a reposição dos serviços.

 

Todos os itens de reivindicação na SES já foram superados ou estão mais avançados nas outras Fundações e órgãos do Sistema Estadual de Saúde, o que tem gerado um clima de insatisfação na categoria. A sinalização apontada durante a reunião é que a solução deve sair da SES em breve. Caso isso não ocorra, os(as) trabalhadores(as) afirmaram que irão aumentar a pressão.

 

Além desses itens, os(as) servidores(as) se mobilizam para o cumprimento da pauta geral que tem prazo para implementação em setembro, superado os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Em relação a isto, o SindSaúde MG cobra do governo o posicionamento antes da realização da Assembleia Geral, marcada para 13 de setembro, às 10 horas, no pátio da ALMG para a categoria decidir o caminho a ser tomado.

 

Impasse no governo  

 

O novo secretário vinha se esquivado das decisões, alegando que a Seplag é que deve continuar a negociação. O SindSaúde reafirma que compreende o governo como único e que compete ao gestor do SUS estadual, o secretário de saúde, assumir as decisões tanto das políticas de saúde quanto no que diz respeito à força de trabalho. Em um tom de ironia, mas com bastante carga de indignação, os(as) servidores(as) passaram a chamar os representantes da Seplag como “posto Ipiranga”, uma referência a propaganda de que na SES nunca se sabe de nada.       

 


 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060