Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > ACONTECE > ENTIDADES NACIONAIS REFIRMAM UNIDADE DOS SERVIDORES FEDERAIS NA AGENDA DE LUTAS DAS CENTRAIS SINDICAIS

Entidades nacionais refirmam unidade dos servidores federais na agenda de lutas das Centrais Sindicais

21/09/2016

Reunião ampliada realizada em Brasília reuniu mais de mil servidores; trabalhadores avaliam Jornada de Lutas e aprovam calendário de lutas

Escrito por: Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

 

A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social foi representada por seu secretário de Organização, Raimundo Cintra, e o diretor Executivo, Luiz Carlos Vilar, em Reunião Ampliada do FONASEFE – Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais realizada na quarta-feira, 14/09, em Brasília. O encontro teve como pontos centrais de sua pauta a avaliação da Jornada de Lutas e a aprovação do calendário de mobilizações. Compareceram à reunião ampliada cerca de mil servidores.

 

Estes trabalhadores estavam em Brasília, vindos em caravanas de vários Estados, para participarem da “Jornada de Lutas em Defesa da Democracia, dos Direitos e Contra o Retrocesso” realizada pela CUT – Central Única dos Trabalhadores e demais Centrais Sindicais entre os dias 13 e 14 de setembro. A programação da Jornada contou com uma manifestação realizada na noite da segunda-feira, 13/09, onde os participantes cobraram a cassação do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB/RJ) e o Fora Temer.

 

No dia seguinte, 13/09, cerca de 15 mil trabalhadores, servidores em sua absoluta maioria, percorreram o trecho entre o Museu Nacional e o Ministério da Fazenda numa grande passeata em defesa dos servidores federais, estaduais e municipais e dos serviços públicos. Os trabalhadores se manifestaram repudiando, principalmente, a PEC 241 e o PLC 257, que colocam em risco os serviços prestados para a população, penaliza os servidores públicos e engessa os investimentos em áreas importantes por cerca de 20 anos.

 

Também foi uma agenda presente no calendário de mobilizações das Centrais Sindicais contra o governo Temer. O próximo momento deste cronograma pressupõe a realização de uma grande mobilização nacional marcada para quinta-feira, 22 de setembro. A atividade é considerada um “esquenta” para a greve geral que as Centrais querem realizar logo na sequência. São atividades que demonstram a resistência dos trabalhadores contra as retiradas de direitos trabalhistas e cidadãos.

 

Clique sobre a imagem e veja a entrevista:

 

É com este sentimento de unidade na luta que os servidores deram início às discussões da reunião ampliada. De imediato, aprovaram, por unanimidade, a participação dos servidores em todo o país no dia “Dia Nacional de Paralisação e Mobilização das Categorias” (22/09). A mesma disposição de atuar no combate aos desmandos do governo Temer foi observada quando os servidores aprovaram o apoio à mobilização nacional marcada pelos Metalúrgicos para o dia 29 de setembro.

 

As entidades federais também aprovaram a organização da greve geral da classe trabalhadora. Este ponto deve seguir sendo debatido pelas entidades com os trabalhadores em seus Estados.  A iniciativa visa o enfrentamento aos ataques contra os direitos, as reformas, as privatizações e o ajuste fiscal que estão sendo propostos pelo governo federal.

 

Raimundo Cintra menciona que a avaliação feita pelas entidades nacionais dos servidores sobre a manifestação do dia 13/09 considera que foi um momento importante por marcar a luta dos servidores contra a PEC 241, o PLC 257, a reforma da Previdência e outros desmantelamentos propostos pelo governo contra o setor público.

 

“Foi mais uma vez reiterado que os trabalhadores do serviço público não reconhecem e combatem este governo ilegítimo que se instalou no poder em Brasília. Neste sentido, as entidades nacionais reafirmaram a unidade na luta e aderiram às mobilizações do dia 22 de setembro e também do dia 29. Estamos rumo a uma greve geral. A primeira neste governo. Estamos conclamando a sociedade para apoiar esta luta dos trabalhadores”, afirma.  

 

Encaminhamentos tirados na reunião: (dados FONASEFE)

 

Após as falas, a mesa encaminhou uma proposta de consenso global, construída pelas entidades do FONASEFE e Centrais Sindicais, qual sejam:

 

1. Participar e organizar os atos dos dias 22 e 29 de setembro com paralisações, manifestações e atos públicos, de acordo com as condições objetivas de cada um dos setores que compõem esse fórum;

 

2. Seguir trabalhando a necessidade e perspectiva de construir a Greve Geral, reafirmando o chamado às Centrais Sindicais que a convoquem o mais rápido possível;

 

3. Construir um Dia Unitário e Nacional de Lutas na segunda quinzena de outubro, evitando a dispersão e pulverização de datas, fortalecendo a unidade de todos os trabalhadores. A data precisa fica em aberto para que seja definida em conjunto com as Centrais e organizações dos mais diversos segmentos da classe trabalhadora;

 

 

José Carlos Araújo

Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

 

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060