Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > ACONTECE > GREVE GERAL: TRABALHADORES DO SEGURO SOCIAL E DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO VÃO ADERIR A GREVE

GREVE GERAL: trabalhadores do Seguro Social e da Previdência Social do Estado de São Paulo vão aderir a greve

28/04/2017

Trabalhadores do Seguro Social e da Previdência Social do Estado de São Paulo mobilizados para a Greve Geral do dia 28 de abril

Escrito por: SINSSP

 

A Reforma da Previdência é uma proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que está tramitando no Congresso Nacional desde dezembro de 2016 e tem como objetivo mudar as regras do sistema de seguridade social, um direito adquirido desde a Constituição de 1988.

 

O texto da PEC tem como principais alterações a elevação da idade mínima da aposentadoria para 65 anos, aumento do tempo de contribuição e igualdade de gênero (homens e mulheres com as mesmas condições para se aposentar e para contribuir).

 

O Governo Federal justifica essa reforma que vai resultar no desmonte da Previdência a existência de um déficit no sistema previdenciário, a mudança nas condições de velhice da população por conta da longevidade saudável dos idosos e a impossibilidade de pagar o benefício da aposentadoria nas próximas décadas.

 

O SINSSP se coloca totalmente contra a Reforma da Previdência e não concorda que a população trabalhadora sofra com os impactos dessa proposta. O Governo não está medindo o grande impacto que isso vai causar no bolso e na qualidade de vida das pessoas.

 

Não haveria déficit se o Governo revisse as desonerações incidentes sobre as receitas da Seguridade Social, suspendesse a desvinculação das contribuições sociais, reformulasse o sistema de cobrança da dívida do INSS, intensificasse o combate à sonegação, etc. Se a administração da autarquia fosse eficiente, fiscalizadora e cobrasse de quem realmente deve cobrar a discussão não estaria sobre um déficit, mas sobre um superávit econômico.

 

Se as empresas que devem fortunas ao INSS fossem cobradas, a dívida paga e o dinheiro da Previdência fosse encaminhada para o destino que deve ser encaminhado nunca existiria o tal déficit.

 

Ao analisar tudo isso percebe-se que não há outro caminho para a categoria senão a Greve Geral. É preciso que todos os trabalhadores se unam para juntar forças para combater o desmonte da Previdência Social, como também contra a Terceirização do Trabalho .

 

Que nenhum direito seja retirado do servidor público, direito esse conquistado com muita luta e com muito trabalho. Se não lutarmos por ele será o fim e depois não adianta reclamar ou lamentar.

 

O dia 28 DE ABRIL será o grande dia de paralisação, o dia da GREVE GERAL. Você não estará sozinho, outras categorias também vão cruzar os braços e lutar junto com VOCÊ pelos direitos conquistados.

      

 

Marli Prado Ulprist

Assessora de Imprensa

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060