Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > SINDSAÚDE PASSO FUNDO: TRABALHADORES DE 36 HOSPITAIS DO RGS ESTÃO COM SALÁRIOS ATRASADOS

Sindsaúde Passo Fundo: trabalhadores de 36 hospitais do RGS estão com salários atrasados

08/01/2018

Dirigentes apontam que a categoria, que já possui baixos salários, jornadas excessivas e sobrecarga de trabalho, acaba alcançando um alto índice de adoecimento e de estresse

Escrito por: Sindsaúde Passo Fundo

 

Cerca de dez mil famílias de funcionários de 36 hospitais do Estado do Rio Grande do Sul não terão nada a comemorar no Natal deste ano. Eles estão sem receber salários atrasados de novembro e até de outubro, além do 13° Salário. O caminho pode ser a greve, como observa Milton Kempfer, presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos e Serviços da Saúde do RS (FEESSERS). Segundo ele, a situação vem sendo ocasionada pela falta de repasse dos incentivos dos meses de outubro e de novembro e pelo atraso no pagamento dos serviços prestados por santas casas e hospitais filantrópicos.

 

Na região abrangida pelo SINDISAÚDE de Passo Fundo, o hospital de Caridade de Palmeira das Missões deve o mês de novembro e 50% do 13º Salário. O Frei Clemente de Soledade deve 60% de novembro e todo o 13º.

 

“Já tivemos 19 greves em 2017 por falta de pagamento. Atualmente temos paralisação em Três Passos e Canguçu, mas o movimento paredista poderá se estender por várias regiões”, observa o dirigente.

 

Segundo ele, a categoria, que já possui baixos salários, jornadas excessivas e sobrecarga de trabalho, acaba alcançando um alto índice de adoecimento e de estresse. “Contas atrasadas, corte de luz e despejo tem sido o dia-a-dia de quem atende a população em seu momento de maior vulnerabilidade. Isto é extremamente perigoso e quem acaba sofrendo é a população”, observa Milton.

 

A situação mais grave ocorre na Beneficência Portuguesa de Porto Alegre, onde os trabalhadores estão há seis meses sem receber os salários, mas Milton adverte que os primeiros a ser atingidos com uma possível onda de paralisações poderão ser os moradores das regiões de Arroio Grande, Boa Vista do Buricá, Cacequi, Canela, Canguçu, Caxias do Sul (Fundação Araucária), Campo Novo, Coronel Bicaco, Crissiumal, Cruz Alta, Bagé, Boa Vista do Buricá, Frederico Wesphalen, Horizontina, Jaguarão, Lagoa Vermelha, Não-Me-Toque, Palmeira das Missões, Porto Lucena, Rio Grande, Rosário do Sul, Santa Rosa, Santo Augusto, São Francisco de Assis, São Francisco de Paula, São Gabriel, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Santana do Livramento, Soledade, Tupaciretã, Taquara, Tramandaí, Três Passos, Tupaciretã e Viamão. É que os hospitais destes municípios não estão honrando com o compromisso de quitar a folha de pagamento em dia.

 

 

 

Rosa Maria Pitsch - Passo Fundo (RS)

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060