Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > SERVIDORES APROVAM CALENDÁRIO DE PARALISAÇÃO NA REDE MUNICIPAL DE SAÚDE DE GOIÂNIA

Servidores aprovam calendário de paralisação na rede municipal de saúde de Goiânia

22/02/2018

Sindicato utilizou a tribuna da Câmara Municipal de Goiânia para denunciar o descaso da prefeitura com os servidor@s da Saúde e com a população

Escrito por: Sindsaúde GO

 

Sem condições de trabalho, sem data-base e sem a garantia dos demais direitos previstos em lei, os servidores da rede municipal de Saúde de Goiânia elaboraram e aprovaram durante assembleia geral com indicativo de greve, na quinta-feira (15), um calendário de mobilização. Essa é mais uma tentativa de forçar o diálogo com a prefeitura. A primeira mobilização com paralisação vai ocorrer no Cais Novo Mundo no dia 20 de fevereiro, às 9h.

 

“Hoje, quase no final da nossa assembleia, surgiu a possibilidade de uma reunião com o prefeito na segunda-feira (19). Diante disso, a categoria avaliou que seria mais coerente aguardar o resultado desse encontro. No entanto, os servidor@s decidiram construir um calendário de mobilização com o objetivo de fortalecer o movimento antes de deflagrar greve geral no município de Goiânia”, explicou o vice-presidente do Sindsaúde, Ricardo Manzi. 

 

Assembleia Geral

 

Ricardo adianta que além do cronograma de mobilização, a nova assembleia com o indicativo de greve também já foi marcada. “Vamos insistir mais uma vez no diálogo e voltaremos a realizar uma nova assembleia no dia 8 de março, às 8h30, na Câmara Municipal. Se nada mudar até lá, o nosso movimento poderá evoluir para uma greve geral”.

 

Na tribuna

 

Ainda durante a assembleia, a presidenta do Sindsaúde, Flaviana Alves, utilizou a tribuna da Câmara Municipal de Goiânia para denunciar o descaso da prefeitura com os servidor@s da Saúde e com a população. O Sindsaúde também pediu o apoio dos vereadores para solucionar a crise na Saúde.

 

Flaviana destacou que uma greve traz transtornos para os trabalhador@s e principalmente para a população, mas que em muitos casos, ela acaba se tornando o último recurso do trabalhad@r. “Esse é o caso dos servidor@s de Goiânia. Infelizmente, a secretária de Saúde, Fátima Mrué, e o prefeito Iris Rezende não têm tomado providências e continuam ignorando o caos na Saúde”.

 

Na ocasião, os vereadores Jorge Kajuru (PRP), dra. Cristina Lopes (PSDB), Paulo Magalhães (PSD), Clécio Alves (MDB) e Sabrina Garcêz (PMB) manifestaram apoio aos trabalhador@s. “Eu vou encaminhar com urgência um requerimento solicitando esclarecimentos do prefeito e da secretária sobre o andamento das negociações com a categoria”, prometeu a vereadora Sabrina Garcêz. 

 

Condições de trabalho

 

A cobrança de melhoria nas condições de trabalho e o fornecimento do material adequado têm sido uma das principais reivindicações. O Agente de Combate às Endemias da prefeitura de Goiânia, Leandro Gouveia, explica que – antes de comprar o seu próprio uniforme - a falta dele vinha dificultando o seu trabalho. “Não só eu, como outros colegas também foram impedidos de entrar em uma residência ou comércio porque não estávamos uniformizados. A falta de uniformes não transmite confiança ao morador e ai não tem como fazer a gente fazer o nosso trabalho”.

 

O diretor do Sindsaúde e presidente da CUT-Goiás, Muro Rubem, ressaltou que o momento é decisivo e que somente a união da categoria poderá barrar os retrocessos nos direitos da classe trabalhadora. “É desumano o que os servidor@s da saúde e a população de Goiânia vêm enfrentando”. Ele ainda lembrou que no próximo dia 19 acontecerá em todo país uma Mobilização contra a Reforma da Previdência e que a "participação de todos será muito importante". 

 

Além da melhoria das condições de trabalho, do pagamento da data-base de 2017 e 2018, o Sindsaúde reivindica o descongelamento do Plano de Carreira (progressões e titulação); regularização do atendimento no Instituto Municipal de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas), transferência da gestão para o servid@r; inclusão dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), dos Agentes de Combate às Endemias (ACE) e inclusão dos servidor@s administrativos na Lei do Plano de Carreira (Nº 8916/2010); realização de concurso público e pagamento da dívida junto ao IPSM.

 

Veja o cronograma de mobilização e paralisação aprovado pelos servidores da Saúde:

 

  • 20/02: Cais Novo Mundo – 9h

 

  • 21/02: Auditório multiuso, Área 3, PUC - Goiás, Setor Universitário - 13h30

 

  • 27/02: Cais Finsocial – 9h

 

  • 01/03: Cais Bairro Goiá – 9h

 

  • 08/03: Câmara Municipal de Goiânia (Assembleia geral com indicativo de greve) – 8h30

 

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060