Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > AFASTAMENTO DE TRABALHADORES POR CAUSA DA COVID-19 OU SEQUELAS DA DOENÇA AUMENTA 75%

Afastamento de trabalhadores por causa da Covid-19 ou sequelas da doença aumenta 75%

23/09/2021

Os dados, publicados pelo jornal Folha de São Paulo e Agência Brasil, são da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho

Escrito por: Sindsprev PE

 

O afastamento de trabalhadores por mais de 15 dias em consequência da Covid-19 ou sequelas da doença aumentou 75% este ano (64.861 nos seis primeiros meses do ano) em relação ao ano passado, quando foram registrados 37.045 afastamentos de abril a dezembro. Os dados, publicados pelo jornal Folha de São Paulo e Agência Brasil, são da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

 

Metade dos pacientes continua com queixas 12 meses depois de contrair a doença, sendo as mais frequentes o cansaço e a fadiga muscular, segundo estudo publicado na revista científica The Lancet. Um em cada três também apresenta dificuldade de respirar, diz a reportagem. Sendo assim, aumentou também a procura por reabilitação.

 

Estados e municípios têm criado ambulatórios de reabilitação pós-Covid, mas a oferta no SUS ainda é inferior à demanda e há demora no início das terapias necessárias.

 

O SUS é a opção de boa parte da classe trabalhadora que teve Covid-19 e precisará de reabilitação. Portanto, é preciso que o governo federal amplie os recursos para o Sistema e que invista para fortalecer os serviços públicos de saúde, especialmente os voltados para a recuperação e reabilitação de pacientes com Covid-19.

 

Para o coordenador-geral do Sindsprev-PE, é preciso que o Congresso Nacional lute por recursos, porque se for depender da boa vontade do governo Bolsonaro, a população que mais precisa vai ficar sem os serviços públicos. “Com o aumento da demanda, os profissionais têm relatado que as unidades de saúde estão sobrecarregadas”, afirma Eustáquio.

 

É preciso lembrar que o governo Bolsonaro tem ido na contramão da demanda. Em plena pandemia, o governo reduziu a previsão orçamentária para a saúde em 2021, com previsão de apenas R$ 136,3 bilhões para a área. Em 2020, o valor executado com saúde foi de R$ 160 bilhões.

 

Opções para os trabalhadores

 

Enquanto a luta por mais recursos é feita, os trabalhadores têm algumas opções de atendimento. Uma dela são os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), que funcionam nos estados e municípios e prestam assistência especializada aos trabalhadores acometidos por doenças e/ou agravos relacionados ao trabalho.

 

Hospitais universitários em todo o país também estão oferecendo tratamento para amenizar os sintomas de Covid-19, mas o investimento em todos eles é essencial e precisamos cobrar o governo e o Parlamento para não deixar os trabalhadores sem atendimento.

 

No Recife, o Hospital das Clínicas de Pernambuco oferece ao paciente uma equipe multiprofissional que vai discutir o caso e montar um plano terapêutico e de reabilitação.

 

Folheto sobre saúde do trabalhador

 

A CUT Nacional informou que está sendo elaborado um folheto sobre saúde do trabalhador no pós-Covid-19, que tratará de questões relacionadas aos direitos dos trabalhadores na atenção à saúde e acesso a direitos trabalhistas e previdenciários.

 

 

 

por Rosália Vasconcelos

 

 

 

Fonte: https://bit.ly/3lQBq4x

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:


CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP
Telefones: (0xx11) 2108-9156 - (0xx11) 2108-9301 - (0xx11) 2108-9195 - (0xx11) 2108-9253 - FAX (0xx11) 2108-9300
E-mails: direcao@cntsscut.org.br – tesouraria@cntsscut.org.br – imprensa@cntsscut.org.br

CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF
Telefone: (0xx61) 3224-0818 | E-mail: df@cntsscut.org.br