Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > TÁ TUDO CARO: CENTRAIS SINDICAIS FARÃO ATO NO DIA 14 CONTRA A ALTA DA TAXA DE JUROS

Tá tudo caro: Centrais Sindicais farão ato no dia 14 contra a alta da taxa de juros

14/06/2022

Concentração será às 10h em frente ao Banco Central, na Avenida Paulista

Escrito por: CUT

 

 

Nesta terça-feira (14), as principais Centrais Sindicais irão realizar um ato em frente ao Banco Central, na Avenida Paulista, contra o aumento da taxa de juros no Brasil, que tem elevado o preço de itens básicos de sobrevivência, como alimentos e transporte.

 

O ato terá concentração às 10h em frente à sede do Banco Central, na Avenida Paulista, 1804.

 

A convocação ocorre após os constantes aumentos da taxa Selic, os juros básicos da economia, feitos pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

 

Em maio, a taxa foi 12,75% ao ano, colocando o Brasil no topo da lista de 40 países com a maior taxa de juros. Apesar da Selic ser uma taxa ligada à tomada de crédito, ela acaba influenciando e puxando todas as demais taxas do país, aumentando os preços de itens de supermercado, a conta de energia e os combustíveis, por exemplo.

 

“Tudo aquilo que o movimento sindical vinha alertando está ocorrendo. A autonomia do Banco Central é mais um dos grandes erros promovidos por Jair Bolsonaro (PL), pois o desvincula da política econômica do governo federal e o deixa subordinado aos interesses dos grandes empresários. É mais uma forma de desmontar o papel do Estado e das empresas públicas”, diz a presidenta da CUT-SP, Telma Victor.

 

A falta do poder de compra da população é tão crítica que muitos têm deixado de se alimentar de forma adequada. Na última quarta-feira (8), uma pesquisa da Vigisan (Inquérito Nacional Sobre Segurança Alimentar no Contexto da Pandemia Covid-19 no Brasil) aponta que 33,1 milhões de brasileiros estão passando fome, o equivalente a 15,5% da população. O número levou o país a patamares de 30 anos atrás.

 

Em demonstração de desespero e despreparo, Bolsonaro e seu ministro Paulo Guedes pediram que donos de supermercados congelassem os preços até 2023. Resta saber se os patrões vão querer abrir mão dos lucros.

 

 

 

Rafael Silva - CUT São Paulo

 

 

 

Fonte: https://bit.ly/3mHvv2N

13 Junho, 2022

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:


CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP
Telefones: (0xx11) 2108-9156 - (0xx11) 2108-9301 - (0xx11) 2108-9195 - (0xx11) 2108-9253 - FAX (0xx11) 2108-9300
E-mails: direcao@cntsscut.org.br – tesouraria@cntsscut.org.br – imprensa@cntsscut.org.br

CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF
Telefone: (0xx61) 3224-0818 | E-mail: df@cntsscut.org.br