Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > ACONTECE > DIRIGENTES DO SINTFESP PARTICIPAM DE REUNIÃO DO GT DA MESA SETORIAL DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Dirigentes do Sintfesp participam de reunião do GT da Mesa Setorial de Negociação Permanente do Ministério da Saúde

05/12/2017

Sindicalistas reivindicam alteração na portaria 243/2015, visando garantir escala de trabalho história de servidores cedidos pelo Ministério da Saúde à Secretaria Estadual de Saúde

Escrito por: Sintfesp GO

 

Dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência nos Estados de Goiás e Tocantins – Sintfesp-GO/TO e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social –  CNTSS-CUT participaram, em Brasília, de reunião do Grupo de Trabalho que assessora a Mesa Setorial de Negociação Permanente do Ministério da Saúde. Entre as demandas apresentadas, foi solicitada a alteração no artigo 6º da Portaria 243, de 10 de março de 2015, que dispõe sobre a cessão de servidores públicos do Ministério da Saúde aos Estados, Distrito Federal e Municípios, para atuação no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Uma das reivindicações é dos cedidos à Secretaria da Saúde de Goiás que, em função das regras estabelecidas na portaria estão impedidos de manter uma escala de trabalho – de 12 por 36 ou de 12 por 60 horas – que já cumprem há mais de 30 anos.

 

Segundo Terezinha de Jesus Aguiar, dirigente da CNTSS e do Sintfesp, “a portaria tem regras que fazem com que gestores estaduais e municipais se utilizem dela em prejuízo aos servidores”. Segundo ela, o grupo de trabalho demonstrou sensibilidade à demanda, “na compreensão de que isso pode melhorar as condições de trabalho e vida de servidores cedidos”.

 

A dirigente sindical afirma que o próximo passo será apresentar as propostas discutidas no grupo de trabalho na reunião da Mesa Setorial que deverá ocorrer nos próximos dias, em Goiânia, e a respectiva publicação da portaria 243 revisada.

 

No dia 21 de novembro, servidoras do Ministério da Saúde, cedidas à Secretaria Estadual de Saúde de Goiás, acompanhadas dos diretores do Sintfesp-Go/To, Terezinha Aguiar e Mauro Mota, estiveram reunidas com a gerente especial de gestão de pessoas da SES-GO, Fabiana de Araújo Falcomer dos Santos. A partir da reunião, o Sintfesp e o Sindsaúde ficaram de solicitar formalmente à Procuradoria Geral do Estado que reconsidere a sua posição e aceite as escalas de trabalho como já vinha ocorrendo há mais de 30 anos.

 

“São mais de 30 anos fazendo a jornada de 12 por 60 horas, ou seja, um plantão sim e dois não. É a jornada correta para nós e para os trabalhadores e trabalhadoras. Não foi perguntado a eles se seria bom ou não alterar essa rotina. Estão dizendo que essa jornada adoece os trabalhadores, o que para nós não é verdade”, ressalta Wilma Almeida, que reitera a posição do Sintfesp pela revisão da portaria 243, e consequente mudança de posição do Ministério Público Estadual, da Procuradoria Geral do Estado e da Secretaria Estadual de Saúde.

 

O que diz o artigo 6º, da Portaria 243/2015, do Ministério da Saúde: Art. 6º O servidor público cedido nos termos desta Portaria cumprirá jornada de trabalho fixada pelo dirigente máximo do órgão cessionário, respeitada a duração máxima de trabalho semanal de 40 (quarenta) horas e observados os limites, mínimo e máximo, de 6 (seis) e 8 (oito) horas diárias, ressalvada a duração da jornada de trabalho estabelecida em legislação específica.


Parágrafo único. O dirigente máximo do órgão cessionário poderá autorizar os servidores públicos cedidos nos termos desta Portaria a cumprir jornada de trabalho de 6 (seis) horas diárias e carga horária de 30 (trinta) horas semanais nos casos de serviços que exigem atividades contínuas de regime de turnos ou escalas, em período igual ou superior a 12 (doze) horas ininterruptas, em função de atendimento ao público ou trabalho no período noturno, devendo-se, neste caso, dispensar o intervalo para refeições, conforme disposto no art. 3º do Decreto nº 1.590, de 10 de agosto de 1995.

NEMS na berlinda


Durante a reunião em Brasília, que ocorreu na semana passada, os dirigentes do Sintfesp e da CNTSS também denunciaram “o péssimo tratamento que o Serviço de Gestão Administrativa do Núcleo do Ministério da Saúde em Goiás vem dispensando aos trabalhadores cedidos”.

 

Um importante encaminhamento da reunião foi o indicativo de realizar nos estados reuniões da Mesa Setorial com as Mesas Locais de Negociação. A primeira delas deverá ser em Goiás, no dia 19 de dezembro.

 

Além de Terezinha Aguiar e Wilma Almeida, participaram da reunião as diretoras do Sintfesp Mara Regina e Valdina Miliolli e a advogada da entidade, Josilma Saraiva.

 

 

 

Assessoria de Comunicação

Cláudio Marques (MTE 1534)

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060