Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > SINDPREV AL PARTICIPA DAS MOBILIZAÇÕES DE 10 DE NOVEMBRO

Sindprev AL participa das mobilizações de 10 de novembro

13/11/2017

Trabalhadores do INSS de Alagoas realizam atos e paralisações em protesto contra as reformas de Temer e em defesa do serviço público

Escrito por: Sindprev AL

 

 

Na manhã da sexta-feira. 10/11, o SINDPREV-AL esteve nas ruas para mobilizar a categoria e combater a retirada de direitos promovida pelo governo ilegítimo do Sr. Michel Temer. A estratégia foi de alertar a população sobre os malefícios das tais reformas e os prejuízos para as próximas gerações de brasileiros.

 

Na APS do INSS do Tabuleiro foi realizado um ato público na agência, com a paralisação dos trabalhos por uma hora. Outras APS devem seguir a mesma estratégia neste dia Nacional de protesto pela garantia dos direitos dos trabalhadores brasileiros.

 

As centrais sindicais de Alagoas realizam grande passeata pelo Centro de Maceió nesta manhã de sexta-feira. A concentração dos manifestantes é na Praça Sinimbu.

 

Não à nova Lei Trabalhista!

 

A nova lei trabalhista (Lei nº 13.467/17), que entra em vigor no dia 11/11/2017, precariza as relações de trabalho e dá autonomia aos patrões para negociarem o que quiserem com seus empregados, como: aumento da jornada de trabalho, redução de salários, diminuição do intervalo de almoço, férias, 13º salário etc. Tudo isso poderá ser negociado diretamente, sem a intervenção do Sindicato.

 

Esta lei barateia a mão de obra, legaliza o “bico” e tira do trabalhador o direito à proteção, enquanto os patrões aumentam seus lucros à custa desta exploração.

 

Não à Reforma da Previdência!

 

O governo quer retomar o debate no Congresso sobre a reforma da Previdência. Esta medida é um crime contra a sociedade brasileira e prejudica, principalmente, os mais pobres.


O argumento de que existe déficit na Previdência é falso. A Previdência está inserida no sistema público de Seguridade Social, que além da Previdência, engloba também Assistência Social e Saúde.

 

O governo não apresenta os cálculos exclusivos de Previdência, não apresentou nenhuma auditoria específica e muito menos divulga a lista de empresas devedoras do INSS – que são muitas e devem milhões.

 

Governo quer legalizar o trabalho escravo!

 

É inadmissível, inconstitucional e desumano alterar o conceito de trabalho escravo na legislação brasileira, pois o país, que hoje é referência mundial na luta contra esse crime, enfraquece sua ação de fiscalização e punição contra os maus empregadores.

 

Com essa atitude, o governo, que já havia virado as costas para a população brasileira com a aprovação das alterações na legislação trabalhista, agora reitera que desenvolvimento sustentável e justiça social são apenas palavras e que estas não fazem parte dos seus planos, muito menos do seu vocabulário.

 

Exigimos a revogação da Portaria nº 1.129, do Ministério do Trabalho que, na prática, dificulta o combate ao trabalho escravo no país.

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060