Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > MINISTRO DO STF JULGA AÇÃO QUE PODE DERRUBAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA EM MS

Ministro do STF julga ação que pode derrubar reforma da previdência em MS

04/01/2018

Fórum dos Servidores tentou de todas as formas demonstrar a ilegalidade da Reforma Estadual da Previdência

Escrito por: SINTSS MS

 

Entidades sindicais que compõe o Fórum de Servidores de Mato Grosso do Sul ingressaram com uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) no STF (Supremo Tribunal Federal) para tentar suspender os efeitos da lei que garantiu a reforma da previdência em Mato Grosso do Sul, aprovada sob protestos na Assembleia Legislativa no final de novembro.

 

A expectativa de que a Ação seja favorável aos sindicalistas se dá pelo fato que caberá ao ministro Ricardo Lewandowski julgar o pleito. O magistrado já suspendeu os efeitos da Medida Provisória que aumentava contribuição previdenciária dos servidores públicos da União.

 

Além de aumentar a contribuição previdenciária dos servidores que recebem mais de R$ 5,3 mil de 11% para 14%, a reforma também unificou os fundos geridos pela Ageprev (Agência Estadual de Previdência Social) e permitiu ao Executivo acesso a quase R$ 400 milhões.

 

“O Fórum dos Servidores tentou de todas as formas demonstrar a ilegalidade da Reforma Estadual da Previdência. Nossa ADI, contestando a aprovação da matéria, está nas mãos do ministro Ricardo Lewandowisk. Temos a esperança que a justiça finalmente prevaleça”, disse um dos coordenadores do Fórum e presidente da Abssms (Associação Beneficente dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais oriundos do Quadro de Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Mato Grosso do Sul), Thiago Mônaco.

 

O Fórum afirma que dos R$ 400 milhões referentes ao Fundo Previdenciário superavitário criado em 2012, o governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) já usou R$ 390 milhões para pagamento de benefícios.

 

O Fórum contou com apoio da Anermb (Associação Nacional de Entidades Representativas de Policiais Militares e Bombeiros Militares) da CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil) para ingressar com pedido no Supremo.

 

Apesar do recesso forense, que também afeta o andamento de processo no STF, a expectativa do Fórum é que a resposta de Lewandowski ao pleito estadual seja a mesmo dada à ADI, impetrada pelo PSOL, que suspendeu a MP apresentada pelo presidente Michel Temer (PMDB).

 

 

 

Ludyney Moura para o Midiamax 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

Copyright @ CUT Central Única dos Trabalhadores | 3.820 - Entidades Filiadas | 7.890.353 - Sócio | 24.062.754 - Representados
CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP | Telefone (0xx11) 2108 9200 - Fax (0xx11) 2108 9310
CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF | Telefone: (0xx61) 3322 5062 e (0xx61) 3322-5060