Twitter Facebook

CNTSS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > NESTA SEGUNDA (8), TRABALHADORAS INICIAM EM CAMPINAS, INTERIOR DE SÃO PAULO, MARCHA PELA IGUALDADE

Nesta segunda (8), trabalhadoras iniciam em Campinas, interior de São Paulo, marcha pela igualdade

08/03/2010

Escrito por: Fonte – PMT

Nesta segunda (8), trabalhadoras iniciam em Campinas, interior de São Paulo, marcha pela igualdade Para celebrar o centenário da declaração do Dia Internacional da Mulher, a Central Única dos Trabalhadores, ao lado de outras companheiras dos movimentos sociais, inicia uma caminhada que partirá de Campinas, interior de São Paulo, no dia 8 de março, e seguirá por Valinhos (9), Vinhedo (10), Louveira (11), Jundiaí (12), Várzea Paulista (13), Cajamar (14), Jordanésia (15), Perus (16) e Osasco (18). Confira a programação ao final da matéria.

O encerramento da mobilização que integra a terceira ação internacional da Marcha Mundial de Mulheres e tem como tema “Seguiremos em marcha até que todas sejamos livres”, acontecerá no dia 18 de março, na capital paulista. Na ocasião, as mulheres farão um grande ato unificado na Praça Charles Miller, diante do estádio do Pacaembu.

Durante o trajeto, as manifestantes realizarão atos públicos para defender bens comuns e serviços públicos, paz e desmilitarização, autonomia econômica e o fim da violência contra as mulheres.
Além desses temas, a CUT também levará à passeata a bandeira da igualdade. A Central reivindica a ratificação da Convenção 156 da Organização Internacional do Trabalho (OIT)- atualmente aguardando votação na Câmara dos Deputados -, que determina a equidade de tratamento e oportunidades para os trabalhadores dos dois sexos com responsabilidades familiares, e a ampliação das licenças maternidade e paternidade para seis meses.

Em entrevista ao Portal Mundo do Trabalho, a Secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT, Rosane Silva, fala sobre as ações da Central para defender a igualdade, o direito à creche, a descriminalização do aborto e combater a violência contra a mulher.

Portal Mundo do Trabalho - A principal bandeira da CUT neste 8 de março é a igualdade. Quais ações a central já adotou para implementar a equidade e o que há de concreto para modificar as diferenças salariais e de oportunidades entre homens e mulheres no Brasil?

Rosane Silva - A CUT promove uma campanha de igualdade de oportunidades que lança o olhar para o mundo do trabalho, especificamente sobre a divisão de responsabilidades entre homens e mulheres, porque um dos argumentos utilizados pelos empresários para não contratar ou não promover nossas companheiras é que ficamos muito tempo fora da empresa devido à licença maternidade. Para isso, lutamos pela extensão das licenças maternidade e paternidade para seis meses, que chamamos de licença parental. Também é necessário que as bandeiras gerais da CUT tenham vistas para as trabalhadoras, porque o impacto é diferente para homens e mulheres. A diminuição da jornada, nossa principal bandeira nesse momento, aliada às lutas por direitos que ainda não temos garantidos como o acesso irrestrito à creche e a ratificação da Convenção 156 da OIT (Organização Internacional do Trabalho) - norma que assegura a igualdade de oportunidades para homens e mulheres -, permitirão que mais mulheres ingressem no mercado de trabalho.

PMT - A CUT apontou novamente o direito à creche como uma questão fundamental para a atuação das mulheres no mercado de trabalho. Como você avalia as ações do poder público desde que a central definiu essa questão como prioritária, em 1985, durante I Encontro Nacional Sobre a Mulher Trabalhadora?
Rosane - Avançou pouco apesar de ser um direito das crianças e das trabalhadoras e um dever do Estado, é uma política que deve ser desenvolvida nos municípios. Para se ter uma idéia, apenas 11% da demanda por creches públicas é atendida no Brasil. A nossa expectativa é elevarmos esse índice e darmos um salto de qualidade com o PAC 2 (Plano de Aceleração do Crescimento), que o governo federal irá lançar neste ano, e prevê a construção de 10 mil novas creches. Foi uma responsabilidade que o governo federal assumiu devido às urgências apontadas nos debates das conferências das mulheres e da educação. A partir daí, temos que cobrar dos governos municipais o atendimento àquelas e àqueles que de fato necessitam, instalando essas novas unidades nas áreas periféricas das cidades.

PMT - O que é preciso fazer para que o parlamento brasileiro, ainda considerado conservador, ratifique a Convenção 156 e garanta extensão das licenças maternidade e paternidade para todos os trabalhadores e trabalhadoras?
Rosane - Em relação à 156, a CUT lançou um abaixo-assinado e está coletando assinaturas em todo o Brasil a partir dos nossos sindicatos de base para mostrar ao Legislativo que há apoio popular para a ratificação. Em relação à extensão da licença maternidade para seis meses, agora há a PEC 30 (proposta de emenda constitucional), da deputada federal Ângela Portela (PT-RR). A CUT vai apresentar uma emenda a essa proposta para também ampliar a licença paternidade para seis meses, concedida após a mãe retornar ao trabalho. Sabemos que será difícil, é um tema polêmico e mesmo dentro da classe trabalhadora há quem diga que não é necessário. Mas, queremos travar esse debate com nossa base e com o País como uma das formas da sociedade e do Estado assumirem o compartilhamento das responsabilidades familiares.

PMT - A Lei Maria da Penha sofreu um retrocesso quando o STJ decidiu pela condicionalidade da representação da vítima. Essa conquista das mulheres corre o risco de perder a força?
Rosane - Existe essa possibilidade porque a necessidade da vítima ter que fazer a denúncia e mantê-la para de fato ser apurada, diminui as chances de procurar uma delegacia. Sabemos que muitas mulheres não denunciam por medo de sofrer nova agressão e a decisão do STJ abre espaço para o discurso da direita, que alega não haver necessidade de atendimento especializado porque a demanda é pequena. Há um conjunto de iniciativas para tentar desfigurar a Lei Maria da Penha e nossa obrigação é lutar pra que a lei seja cumprida, inclusive questionando a decisão do STJ. Também devemos cobrar os estados para que assinem o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, que permite receber recursos do governo federal para implementar delegacias e atendimento especializado para proteger as mulheres vítimas de agressão.

PMT - A CUT produziu uma cartilha sobre o aborto, um dos temas que causou maior polêmica no recente III Plano Nacional de Direitos Humanos. Você acredita que já é possível discutir o tema na sociedade sob o ponto de vista da saúde pública das mulheres?
Rosane - Começamos a perceber que é necessário conscientizar nossa base sobre a importância de descriminalizar o aborto. A cartilha cumpre de fato essa tarefa aos mostrar que as pessoas que condenam o aborto sob o argumento da defesa da vida, colocam em risco a saúde de mulheres que não possuem R$ 5 mil para pagar uma clínica particular e recorrem a instrumentos caseiros para a prática da interrupção da gravidez. As mulheres cutistas e feministas não defendem o aborto como o único método contraceptivo, mas defendemos a autonomia da decisão sobre ter ou não o filho para aquelas que utilizaram todos os recursos e mesmo assim engravidaram. Porém, mais uma vez observamos uma direita organizada que não quer avançar em direitos para as mulheres no País.

PMT - A eleição de uma mulher para presidente pode alavancar a participação política feminina?
Rosane - A possibilidade de elegermos uma mulher para presidente é muito importante, mas não basta ser mulher, tem que estar comprometida com manutenção do projeto democrático e popular. E nesse momento, acreditamos que a companheira Dilma Roussef é a mais preparada para aprofundar as mudanças iniciadas pelo presidente Lula. Para as trabalhadoras, a presença de mulheres nas eleições é um símbolo muito importante mostra que sociedade começa a olhar diferente para as mulheres, entendendo que também podemos ter acesso ao espaço público. Nosso papel é conscientizar a classe trabalhadora de que ainda vivemos em uma sociedade machista, mas precisamos mudar essa cultura.

Programação:

3ª Ação Internacional da Marcha Mundial de Mulheres - Brasil
De 8 a 18 de março


8 /03 (segunda) - Campinas
16h - Ato público no Largo do Rosário, Praça Central
Lançamento da 3ª Ação Internacional da MMM, marcando os 100 anos do Dia Internacional de Luta das Mulheres.
Local: Ginásio Rogê Ferreira - Av. João Batista Morato do Canto Bairro s/n São Bernardo (Próx. Hospital Mario Gatti).

09/03 (terça-feira) - Valinhos
Trabalho doméstico e de cuidados: um debate sobre a sustentabilidade da vida humana, seguida de debate sobre a história da Marcha Mundial das Mulheres e suas lutas.
Local: Parque do Figo (Parque Municipal Monsenhor Bruno Nardini) Rua Dom João VI, s/nº - Jardim Planalto.


10/03 (quarta-feira) - Vinhedo: Painéis temáticos sobre
• Economia Solidária e Feminista;
• Saúde da mulher e práticas populares de cuidado;
• Sexualidade, autonomia e liberdade;
• Educação não sexista e não racista;
• Mulheres negras e a luta anti-racista;
• Mulheres indígenas;
• A mídia contra-hegemônica e a luta feminista;
• A mercantilização do corpo e da vida das mulheres;
• Prostituição;
• Mulheres, arte e cultura.
Local: Parque Jayme Ferragut - Estrada da Boiada, s/n;


11/03 (quinta-feira) - Louveira: Trabalho das mulheres e autonomia econômica, com a presença de Helena Hirata. Local: Área de Lazer do Trabalhador (Parque da Uva) Rodovia Romildo Prado, km 1 F: 19- 38781357

12/03 (sexta-feira) - Jundiaí: Soberania Alimentar, justiça ambiental e luta por território. Centro Educacional Aramis Poli - R. Benedito de Godoy Ferraz, 508


13/03 (sábado) - Várzea Paulista: Ato público com lançamento de livro sobre o histórico do 8 de março, debate sobre o histórico do movimento feminista e show cultural. Local: Av. Projetada ao lado do Espaço Cidadania e da Prefeitura.

14/03 (domingo) - Cajamar:A luta contra a violência sexista
Local: Rodovia Anhanguera, Km 46,5. Caixa Postal, 530. Capital Ville. Jordanésia - Cajamar/SP (11) 4898.0003


15/03 (segunda-feira) - Jordanésia: Maternidade como decisão e não como destino: debate sobre nossas experiências.Local: Rua Vereador Joaquim Barbosa, 827 - Cajamar/ SP - Fone: 4447-4550.


16/03 (terça-feira) - Perus: Paz e desmilitarização; debate sobre a luta pela transformação da sociedade com Aleida Guevara, lutadora cubana, filha de Che Guevara. Local: Rod. Anhanguera, Km 25,5 s/n - São Paulo - F: 11- 3916.6200/ 3911.0191


17/03 (quarta-feira) - Osasco: Integração dos povos como alternativa e o papel do Estado. Local: Sindmetal - Rua Luiz Rink, 501 - Rochdale - Osasco - SP - Tel./Fax: 3686-7401


18/03 (quinta-feira) - São Paulo: Encerramento com ato público. Local: Estádio Pacaembu - Rua Capivari, 213
Programação cultural: ao longo dos dias, articuladas às atividades de formação, haverá exibição de filmes, música, poesia, teatro e apresentações culturais dos estados.

Ceará
De 1 a 8 de março, 100 anos de lutas pelos Direitos das Mulheres - Mulheres de Quixadá, Presentes


1 a 5 de março
Emissão de CPF - 1ª via para as mulheres a partir de 16anos de idade, sem cobrança da taxa - durante o expediente da Caixa - 10h às 15h Caixa Econômica Federal

1 a 5 de março
Saúde no Centenário do 8 de Março
Mobilização Popular em Saúde / NUPREV

1 a 8 de março
SDS no Centenário do 8 de Março

1 de março
Audiência Pública - Criação de um Órgão Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres - FORTALEZA

2 de março
Visita institucional a Maternidade Jesus, Maria e José
Visita institucional a Mississipi
Planejamento do Programa de Radio

3 de março
Participação no Programa de Radio do Distrito Educacional Campo Velho, Rádio FM Central
Cortejo Teatral na Feira dos Animais

4 de março
Audiência Pública - Assédio Moral nos locais de trabalho - Câmara Municipal de Quixadá

5 de março
Roda de Conversa com as mulheres de Ibicuitinga
Roda de Conversa no Distrito Educacional Campo Velho
Roda de Conversa com as(os) alunas(os) da Escola Cesar Cals e escola Benigno Bezerra

6 de março
Roda de Conversa no Distrito Educacional de Tapuiará
Sessão de Cinema - Cine Clube Mestre Adolfo

7 de março
Passeio Ciclístico
Panfletagem no Cedro

8 de março
Alvorada do Centenário com bateria de fogos
Momento de Acolhida dando visibilidade a data nos Locais de Trabalho
Feira Cultura e Social - Praça José Linhares da Páscoa (Pça da Catedral) - 8h às 12h

Programação
• Exposição de Trabalhos das Escolas
• Comercialização dos Grupos Produtivos
• Serviços de Saúde da Mulher
• Serviço de Proteção e Promoção para as Mulheres
• Painel
• Emissão de CPF

Pintando no Centenário do 8 de março
Emissão de CPF - 1ª via para as mulheres a partir de 16anos de idade, sem cobrança da taxa Caixa Econômica Federal

Noite do Centenário - Praça José de Barros, a partir das 19h

Programação
• Abertura da Exposição de Fotografia ao som da Banda de Musica
• Apresentações Culturais
• Premiação do Torneio Esportivo Feminino
• Ato Político
• Vozes Femininas

10 de março
Roda de Conversa no Centro de Referência Especializado da Assistência Social

12 de março
Roda de Conversa na Escola Gonzaga Mota

Semana da Mulher da Escola Gonzaga Mota - Coisas de Mulheres
De 08 a 12/03

13 de março
Roda de Conversa na Escola Martins Rodrigues

Semana da Mulher da Escola Martins Rodrigues - Do Luto a Luta
De 08 a 13/03
Doação de Sangue no HEMOCE - As Mulheres de Quixadá doam o Sangue por Uma Quixadá Melhor
Roda de Conversa na Mississipi
Semana da Mulher da Fabrica de Calçado Mississipi

Dia 05 de março, das 8h às 16h
Local: Auditório da Fetraece (Rua Visconde do Rio Branco, nº2198, Joaquim Távora)
Seminário Feminismo, Democracia e Igualdade no Trabalho”

Por creches públicas e de qualidade; Igualdade salarial entre homens e mulheres; alteração do artigo 7º da Constituição Federal para que haja equiparação dos direitos das domésticas com os demais trabalhadores e trabalhadoras; ratificação da Convenção 156 da OIT; acesso das trabalhadoras rurais à terra, crédito e políticas públicas universais; legalização do aborto; maior participação da mulher na política; fim da violência contra as mulheres.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 03 de março na sede da CUT Ceará por Fax ou telefone. O Seminário conta com o apoio do Sindicato dos Bancários, Fetamce, Fetraece, Sindbeleza, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Barreira e Acarape, ADS, Sindsef, Fórum Cearense de Mulheres, Negif/UFC, Secretaria Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT.

Programação
08h - Café da manhã
08h30min - Acolhida: um toque de beleza
09h30min - Mesa de abertura
Carmem Silvia Santiago (SEMT/CUT-CE)
Jerônimo do Nascimento (Presidente da CUT-Ceará)
Representantes da Fetamce, Fetrace, Fetraece, Confetam.
Entidades Convidadas
09h50min - Mesa 01: O feminismo e organização política das Mulheres
Expositora: Profª Dra. Gema Galgani (Departamento de Economia Doméstica da UFC, Programa Residência Agrária Núcleo UFC
Debatedora: Sheila Nogueira (FCM)
Coordenação: Ozaneide de Paula (Fetamce)
11h15min - Mesa 02: Organização das Mulheres no Mundo do Trabalho
Expositora: Rosane Silva , Secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT
Debatedora: Carmem Silvia Santiago (SEMT/CUT-CE)
Coordenação: Liduína Marques (Fetrace)
12h30min - Almoço.
14h - Mesa 03: Mulher, Poder, Participação e Democracia
Expositora: Deputada estadual Rachel Marques (vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembléia Legislativa).
Debatedora: Rosane Silva (Secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT)
Coordenação: Maria Soares Bezerra Nogueira (Fetraece)
15h20min - Apresentação da Campanha pela Ratificação da Convenção 156 da OIT
16h - Encerramento

Dia 8 de março, às 15h
Passeata pelo centro de Fortaleza. Concentração em frente ao Bradesco da Rua Barão do Rio Branco (Peixinhos)
Às 18h
Local: Sindicato dos Comerciários de Fortaleza - Av. Tristão Gonçalves, N.º 803, Centro - Fortaleza - CE
Palestra sobre assédio moral com Eugênia do Nascimento, diretora do Sindicato dos Comerciários de Fortaleza e militante do movimento de mulheres
Palestra sobre as leis que abordam o assédio moral com o advogado Dr. Felipe Accioly
Relançamento da cartilha sobre assédio moral do Sindicato dos Comerciários de Fortaleza

Dia 9 de março, às 19h
Palestra sobre a história do 8 de março e a luta das mulheres com a professora e historiadora Adelaide Gonçalves

Distrito Federal

Dia 03/03, 16h
Ciranda de Mulheres na Praça dos Três Poderes, Esplanada dos Ministérios. Atividade organizada pela Secretaria de Mulheres da CUT/DF, SINPRO/DF e Marcha Mundial das Mulheres;

Dias 05 e 06/03, de 8 às 18h
Curso de Oratória Sindical para Mulheres. Atividade organizada pela CUT/DF com participação dos Sindicatos Filiados. Inscrições prévias.
Informações pelo site www.cutdf.org.br . Local: Auditório da CUT/DF;

De 8 a 18/03
Participação na III Ação da Marcha Mundial das Mulheres em São Paulo.
Delegação do DF organizada pela Marcha Mundial das Mulheres com apoio da CUT/DF. Participação de representantes dos Sindicatos CUTistas;

Dia 20/03, das 9h às 18h
Encontro Regional de Mulheres Trabalhadoras para discutir a Participação Política das Mulheres e a Plataforma da Classe Trabalhadora para as eleições de 2010. Local: SINPRO/DF.

Espírito Santo
Dia 5 de março
O Sintraconst realizará em auditório da entidade uma atividade para homenagear as mulheres da construção. Serão palestrantes, Ivone Vila Nova e Viviane Galvão Guedes.

Mato Grosso do Sul

Dia 2 de março, às 18h30
Lançamento do abaixo-assinado pela ratificação da Convenção 156 da OIT pelo poder Executivo e o Congresso Nacional
Local: Associação de Moradores da Moreninha II - Campo Grande/MS
Tema: 100 anos - Dia Internacional da Mulher/Avanços e Desafios
Palestrantes: Maria Rosana e Dona Gilda Maria

Dia 3 de março, às 18h30
Local: Casa Eunice - Pastoral da Criança (Rua Seiko Yanamine, 271 - Parque do Sol - Campo Grande/MS)
Tema: 100 anos - Dia Internacional da Mulher/Avanços e Desafios
Palestrantes: Ethel e Dona Gilda Maria

Dia 4 de março, às 18h30
Local: Casa Olinda (Rua Rosa Abussaf dos Santos, q8, lote 38 - Caiobá - Campo Grande/MS)
Tema: 100 anos - Dia Internacional da Mulher/Avanços e Desafios
Palestrantes: Marlene Ricardi e Dona Gilda Maria
Mais informações:
(67) 3325 9406 - 8116 2020 - 8443 1111

Paraíba

Dia 1 de março, às 18h
Tema: Igualdade de Oportunidade na Vida no Trabalho e no Movimento Sindical
Palestrantes: Cícera Isabel (secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-PB) e Eurides Ferreira de Almeida (Sintesp)
Local: Sindicato dos Comerciários
(Av. General Osório, 199, Centro)

Dia 2 de março, às 18h
Tema: Assédio Moral
Palestrante: Joseane da Silva Guedes (Sindicato dos Bancários)
Local: Sindicato dos Comerciários

Dia 3 de março, às 18h
Tema: Violência Contra a Mulher
Palestrante: Walquíria Alencar (Centro da Mulher 8 de Março)
Local: Sindicato dos Comerciários

Dia 4 de março, às 18h
Tema: Políticas Públicas para as Mulheres: avanços para as trabalhadoras
Palestrantes: Rosane Silva (Secretaria Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT Nacional), Douracy Vieira dos Santos (gerente do Programa Estadual de Políticas para Mulheres) e Nésia Gomes Toné (coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres da Prefeitura de João Pessoa)
Local: SINTTEL
(Rua Rodrigues de Aquino, 290, Centro)

Dia 5 de março
Baile “Tirando as Máscaras”, com Banda R2
Local: Sindicato dos Bancários
(Av. Beira Rio, 3100, Tambauzinho)

Dia 8 de março
9h00 - Manifestação na Praça dos Três Poderes
16h00 - Entrega da Carta das Mulheres à OAB, Ministério Público Federal e Tribunal de Justiça

Dia 11 de março
Sessão Especial (propositura da vereadora Sandra Marrocos)
Câmara Municipal de João Pessoa

Paraná
Dia 8 de março, às 12h
Local: Ato na Central de Atendimento do Banco do Brasil, em São José dos Pinhais, com distribuição da cartilha da Lei Maria da Penha

Rio de Janeiro

Dia 8 de março, das 10h às 14h
Local: Largo da Carioca
Levaremos nossas tendas, faixas, bandeiras, camisetas e o nosso panfleto unificado que será distribuído a população.
Levaremos o nosso grito de luta, nossa força e consciência política para falar bem alto sobre esses 100 anos de conquistas e lutas e lutas que são feitas todos os dias.

A partir das 14h
Prestação de contas da SPM - Sec Esp Políticas p/Mulheres
Local: Estação da Leopoldina

De 8 a 12 de março - Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro
Local: Auditório do Sindicato dos Bancários (Av. Presidente Vargas, 502/21.º Andar)

Dia 8 - Ato público do Dia Internacional da Mulher

Dia 9 - Distribuição do brinde em homenagem ao Dia da Mulher

Dia 10 - Debate: A mulher e a relação com o corpo, com a Dra. Flávia Vasques e a antropóloga Hilaine Yaccoub, às 18h

Dia 11 - Painel: amamentação e ampliação da licença maternidade, com o Dr. Marcus Renato de Carvalho, às 18h

Dia 12 - Botequim bancário da mulher trabalhadora. Nilze Carvalho e o grupo Negras Raízes, às 19h

Roraima
Dia Internacional da Mulher com atividades organizadas por CUT-RR e Venezuela

Dia Internacional da Mullher, marcha sem fronteira, 7 e 8 de março
Santa Elena de Uairén - San Sabana - Venezuela

Dia 7 - Encontro Sem Fronteiras da Mulher
Local: Parque Serial

Manhã
8h - Abertura
Atividade cultural com apresentações artítistica de Brasil e Venezuela
9h - Relato das experências pessoais sobre a violencia doméstica por mulheres do Brasil e da Venezuela
10h30 - Intervalo
11h - Fórum sobre tráfico de mulheres, homens e crianças e direitos humanos

Tarde
12h30 - Almoço
14h - Economia solidária e desenvolvimento sustentável a partir da mulher
Exposição de organismos de financiamento e microeconomía ou economía alternativa e solidária; intercâmbio de experiências
Entrega de Proyectos a la Alcaldía y otros organismos de financiamiento
15h30 - Intervalo
Mesa de trabalho e debate para construção coletiva de carta pública do evento
Unificação de criterios e recolhimento de assinaturas para integrar o conteúdo da carta
17h - Evento cultural

Dia 8 - Marcha sem frontera
Lugar de saída - La Frente a Duty Free
Lugar de chegada - Praça Bolívar
8h - Saída da Marcha
10h - Chegada a Praça Bolívar
Intalação de sessão da Câmara
Discurso das oradora da Ordem (Brasil - Venezuela)
Tributo a Ordem Dia Internacional da Mulher em memoria a Reilna Rodríguez, Fundador da Rede de Mulheres no Município
Evento cultural
Despedida

São Paulo

Dia 1 de março, às 14h
Auditório da CUT (Rua Caetano Pinto, 575 - Brás - São Paulo)
Painel Desigualdade de gênero e aula inaugural do Curso de Promotoras Legais Populares, com Luana Simões Pinheiro (assessora da Subsecretaria de Planejamento e representante da Ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Nilcéia Freire)
Mais informações: (11) 2108 9169 - e-mail: semt@cutsp.org.br

Dia 7 de março, a partir das 9h
CUT Cidadã-Mulher “100 anos de lutas por igualdade”

Data: 7 de março (domingo)
Local: Parque Linear Capivari, localizado na Av. dos Amoreiras 7000, em Campinas.
Horário: 9h às 18h
Entrada: gratuita
As moradoras de Campinas e família vão desfrutar mais de 23 serviços sociais e recreativos gratuitos, que serão divididos em tendas como: emissão de documentos (primeira via da carteira de identidade e da carteira de trabalho) e orientações sobre aposentadoria, direitos, para adquirir a 2ª via das certidões de nascimento, casamento, óbito e encaminhamento para o casamento civil gratuito.

Dia 7 de março, às 9h
Encontro da Mulher Comerciária de Osasco e Região
Local: Secor Clube
Endereço: Rua Laura Josefa dos Santos nº 400 Parque Jandaia / Cid.Carapicuíba (próximo ao heliporto, saída do Rodoanel).
Haverá também um torneio de futebol feminino
Mais informações:
ANA MARIA
DIRETORA SECOR
COORDENADORA CUT OSASCO E REGIÃO
(11) 3685-0355 - (11) 3682-0266 - (11) 9573-1657

Dia 8 de março, às 10h30
Ato em celebração ao Dia Internacional da Mulher
"100 anos de 8 de março: mulheres em luta por autonomia, igualdade e direitos"
Ainda há por que lutar!
Local: Praça do Patriarca - Centro - São Paulo
Mais informações para a imprensa:
SOF - (11) 3819-3876 (das 09h00 às 18h00)

Dia 8 de março, às 19h
Palestra: “Mulher: Força, Beleza e Busca de Equilíbrio”
Sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté
Palestrantes: Professora Carmen Silvia Candido Pedroso Bastos, mestre em Comunicação Social pela UNIP, pós-graduada em Planejamento e Marketing Turístico pelo Centro Universitário Senac - Campus Campos do Jordão, docente de ensino superior no Centro Universitário Senac - Campus Campos do Jordão desde 1998 e organizadora de eventos.

Dia 13 de março, às 10h
Palestra Violência, Assédio Moral e Saúde da Mulher
Sede do Sindicato dos Vidreiros de São Paulo
Mais informações:
Marilza Tenório (Secretaria Jurídica - Sindicato dos Vidreiros/SP)
e-mail: juridicovidreiros@terra.com.br
Fone: (11) 3228-3088 - (11) 8070-0758

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado


CNTSS – São Paulo - Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo/SP
Telefones: (0xx11) 2108-9156 - (0xx11) 2108-9301 - (0xx11) 2108-9195 - (0xx11) 2108-9253 - FAX (0xx11) 2108-9300
E-mails: direcao@cntsscut.org.br – tesouraria@cntsscut.org.br – imprensa@cntsscut.org.br

CNTSS – Brasília - SCS - QD.01 Bloco "I"- Ed. Central - 12º andar - Salas 1.201 e 1.208 - CEP: 70.304-900 – Brasília/DF
Telefone: (0xx61) 3224-0818 | E-mail: df@cntsscut.org.br